Destaque

Rússia aprova inclusão de Deus na Constituição e somente casamento heterossexual

Além de abrir caminho para a possível permanência de Vladimir Putin no poder depois de 2024, a nova redação da Constituição Russa inclui uma série de emendas - 206 no total - sobre mudanças na vida política e social do país.

Entre as mudanças na Magna Carta estão a inclusão de Deus na Constituição, o casamento como união exclusiva de um homem e uma mulher, protegendo a família, a maternidade, a paternidade e a infância , bem como a proibição de ceder território a outros países.

+ Rússia diz que uma nova ordem mundial está sendo forjada

A Constituição alterada desenha um país mais conservador e nacionalista. Consagra a "fé em Deus" dos russos e protege o casamento igual na Rússia, introduzindo na Constituição que o casamento é a "união entre um homem e uma mulher" . Ele enfatiza que as crianças devem ser a maior prioridade do governo e que os jovens do país recebem uma educação "patriótica".

Putin afirmou que "a votação evidenciou o alto nível de consolidação da sociedade em relação às principais questões de implicação nacional".

+ Fim dos tempos: Israel é pressionado pela Rússia para dividir Jerusalém com palestinos

“A Rússia adotou uma lei que proíbe a propaganda da homossexualidade entre menores. Somos contra a imposição de qualquer coisa. E nesta questão, ao criticar a Rússia, você não deve abrir a porta ", enfatizou o presidente em seu discurso.

A reforma constitucional russa, que permite ao presidente Putin escolher outros dois termos, obteve 77,92% de apoio no plebiscito em 1º de julho, segundo a Comissão Eleitoral.

O plebiscito teve uma taxa de participação de 64,99% dos 109 milhões de cidadãos com direito a voto.

Em um caso sem precedentes, mais da metade dos eleitores exerceu seu direito de voto antecipado , aproveitando o fato de as autoridades abrirem as escolas com uma semana de antecedência para evitar multidões e um possível surto de COVID-19.

(Com Evangelho Digital)