Uma história de amor à Obra de Deus

Por Pr Gesiel Oliveira

Hoje quero compartilhar com vocês uma das histórias mais impactantes que já ouvi em toda minha vida, que mostra o quão grande pode ser a dimensão do amor à Obra de Deus. No dia 22 de abril de 1977 o Pr José de Souza Rangel foi enviado com dia esposa Prª Rosilda Souza e seus 4 filhos pequenos para iniciarem um trabalho missionário na Ilha dos Camaleões na Região da Ilha do Marajó. Ele demorou cerca de 3 semanas em seu barco a vela para chegar até lá, um pequeno e esquecido povoado ribeirinho na porção oeste da Ilha do Marajó. Nessa região encontrou apenas 12 crentes, a maioria crianças, que o receberam como novo pastor do campo. Era uma região difícil, sem alimentos, com pouco peixe, sem energia elétrica, sem igreja, sem casa pastoral, sem comércio, etc. E sem perda de tempo ele começou a trabalhar, indo para o mato tirar madeira para começar a construir a igreja e a casa pastoral. A alimentação era difícil, a família comia camaleão (iguana) de manhã, de tarde e de noite. Passado alguns dias em que estavam ali, seus quatro filhos pequenos adoeceram. Uma menina de 9 anos, chamada de Maria José e um menino de 11 meses chamado de Samuel eram os casos mais graves. Nesses dias, o Pr Rangel estava no mato tirando madeira, quando alguém chega às pressas e diz: "pastor corra pra sua casa que sua filha piorou e está muito mal". Chegando ali a menina estava em convulsão, com febre alta, já se despedindo da vida. O Pastor Rangel, com lágrima nos olhos, segura sua filhinha em seu colo, e começa a cantar o hino 394 da harpa:

"Quem sua mão ao arado já pôs
Constante precisa ser
O Sol declina e logo após
Vai escurecer
Avante, em Cristo pensando
Em oração vigiando
Com gozo e amor trabalhando
Pra teu Senhor"

Quando ele termina a 1ª estrofe a criança morre em seu braços. O dia mau chegou naquela humilde casa. A esposa do Pr Rangel, Irmã Rosilda desmaia, e ouvem-se gritos e prantos naquela casa. O Pr Rangel nunca imaginara que a madeira que ele estava tirando para fazer a igrejinha, serviria agora para fazer o caixão de sua filhinha. Em lágrima o Pr Rangel coloca o corpinho da sua filhinha amada no caixão feito por ele mesmo e leva para enterrar em um local próximo a uma floresta, perto de sua casa. Enquanto ele cavava a sepultura ele continuava a cantar:

"Não desanimes, por ser tua cruz
Maior que a de teu irmão
A mais pesada levou teu Jesus
Te consola, então
A tua cruz vai levando
Como Jesus perdoando
Alegremente andando
Pra o lindo céu"

Ele então enterra ali sua filha Maria José de apenas 9 anos. Deixa ali naquele chão frio um pedaço de si, no meio do silêncio da floresta Amazônica. E no retorno para sua casa, enquanto ainda enxugava as lágrimas, e tentava compreender o que havia acontecido, eis que um irmão da igreja vem rápido correndo ao seu encontro, com ar de espanto, e diz: "pastor Rangel seu outro filho acaba de falecer". A esposa do Pr Rangel, Irmã Rosilda desmaia com a notícia. Ao correr rápido em direção à sua casa, ainda de longe ouve gritos e prantos. Ele entra na casa, se ajoelha, chora e pede a Deus que tenha misericórdia e não permita que nenhum dos seus outros dois filhos que ainda restaram morram. Novamente o Pastor Rangel faz o segundo caixão em menos de 24h para enterrar o seu filhinho de apenas 11 meses chamado de Samuel, e o leva para sepultar ao lado da sepultura da outra filha. Enquanto ele cava a segunda cova em apenas um dia, em lágrimas e com a voz trêmula, continua a cantar:

"Sê bom soldado de Cristo Jesus
Sofrendo as aflições
Não sufocando a mensagem da cruz
Nas perseguições
Vai Seu amor proclamando
Novas de paz, sim, levando
Aos que estão aguardando
A salvação"

Quando o Pr Rangel enterra seu filhinho, em lágrimas a sua esposa pergunta: "e agora meu marido, o que vamos fazer?". O Pr Rangel imediatamente responde: "vamos fazer o que viemos fazer, pregar o evangelho de Jesus". Ele abraça e consola sua esposa. O Pr Rangel estava firmado do que a Bíblia diz em Romanos 5.3,4: "nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança".

Passado alguns anos, novamente alguém vem procurar o Pr Rangel em sua casa dizendo: "O filho do irmã Neuza Amaral faleceu há quase 10 horas de uma febre alta repentina, e a família o chama pastor para consolá-los". Ao que tudo indicava, aquele menino, de apenas 9 anos, morreu da mesma doença que matou os dois filhos do Pr Rangel. Quando o Pr Rangel chegou àquela casa, encontrou o corpinho frio da criança morta, em cima de uma mesa. Mãos pálidas, beiço acizentado, pupilas dilatadas, enrijecimento dos membros, braços e pernas. O pai do menino já havia ido para o mato tirar madeira para fazer o caixão. Mas aquele Pr Rangel que adentrou aquela casa, não é mais o mesmo. É um Pr Rangel forjado no deserto, com fé fortalecida, homem experimentado nas dores, e agora ele estende a sua mão sobre aquele cadáver, e diz: "Senhor meu Deus, eu não aceito mais esse laço de morte demoníaca, pelo poder que há no nome de Jesus, Levanta-te menino" e a criança se mexeu e grande foi o alvoroço que se viu naquele lugar, que se encheu da Glória de Deus. Pessoas que viram aquela criança ressuscitar começaram a pular de alegria, glorificando a Deus, falando em línguas estranhas, e agora alguém manda avisar ao pai da criança que não precisa mais tirar madeira para o caixão do seu filho, por que Deus manifestou ali o seu poder e trouxe de volta a vida aquela criança. Para finalizar meu relato de hoje, essa criança que ressuscitou hoje é nosso pastor, e dirige uma das nossas igrejas da COMADEZON, Convenção da Assembleia de Deus Zona Norte, no Rio dos Carás na Ilha do Marajó, trata-se do Pr Enéas Conceição. Depois da morte de dois filhos do Pr Rangel e Prª Rosilda, Deus deu mais 5 filhos a este casal, e nos dois primeiros que nasceram, o Pr Rangel colocou os mesmos nomes dos que faleceram: Maria José e Samuel Souza. Este último hoje é nosso pastor, ligado a COMADEZON e dirige nossa igreja no Rio Mupeua, na Ilha do Marajó, uma linda e abençoada igreja. O Pr Rangel permaneceu naquele campo da Ilha dos Camaleões por 6 anos, e deixou uma linda igreja que existe até hoje naquela localidade. Dirigiu diversos outros campos e implantou várias igrejas em sua trajetória abençoada como pastor. O Pr Rangel faleceu no dia 12/05/2015 aos 87 anos, cercado pelo amor de todos os seus filhos e netos, homens e mulheres honradas, a maioria pastores da COMADEZON. Ele então pode cantar no céu, a última estrofe do hino 394 da harpa cristã:

"Quando, enfim, tu largares a cruz
Jesus te coroará
Com santo gozo em glória e luz
Te consolará
Esquecerás teus lidares
Tribulações e pesares
Quando no céu desfrutares
Perfeita paz"

É assim que Deus faz! Os desertos que atravessamos em nossas vidas não vem para nos matar, mas para nos deixar mais fortes. Essa é a história de um guerreiro anônimo, uma história até agora desconhecida, dentre tantas outras histórias que só Jesus sabe, e que naquele grande dia os recompensará. Obreiros de fé que nem as maiores dificuldade os fizeram recuar. O Pr Rangel pode dizer como o Apóstolo Paulo em 2 Timóteo 4:7-8 "Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda". A foto abaixo foi tirada no Município de Itaubal, na casa do Pr José Rangel (de camisa vermelha) ao lado de sua inseparável esposa Prª Rosilda, dia 16/11/2013 quando tive a oportunidade de conhecer essa história.