(VÍDEO) Bolsonaro declara "aceitar Jesus" em culto com pastores no Palácio do Planalto

Da redação JM

O presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, participaram nesta terça-feira (17) de um culto de Ação de Graças promovido pela Frente Parlamentar Evangélica do Congresso no Salão Nobre do Palácio do Planalto. 

+ Brasil dá ‘1º passo para a transferência da embaixada’, diz Eduardo Bolsonaro

Com líderes evangélicos de diversas e importantes denominações no país, o presidente exaltou a Deus e mais uma vez afirmou seu compromisso com o segmento.

Havia cerca de 600 pastores no Salão Branco do Palácio do Planalto, segundo o pastor Fontenele, que discursou no evento. Ele disse que o culto era um "ato profético inédito na história da República".

Além de parlamentares da frente e de representantes de igrejas, cerca de 800 convidados estavam presentes. 

Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro falou ao final do evento, em mensagem de final do ano.

— Posso ser o homem mais importante da República, mas o homem do Brasil é Deus. Faço um pedido, que eu entregue ao meu sucessor um País bem melhor do que eu peguei no corrente ano. 

+ Morte do grande evangelista Reinhard Bonnke comove evangélicos nas redes sociais

Em dois momentos de sua fala, o presidente se emocionou: ao falar do atentado a faca que sofreu durante a campanha e ao falar da família.

— Eu só pedia que Deus não deixasse órfã a minha filha de 7 anos. O resto, com amigos, com brasileiros de verdade e com Deus no coração, nós passaremos dos obstáculos.

Líderes

A ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, fez uma oração, na qual disse que "chegou um novo tempo no Brasil".

O pastor Samuel Câmara, da Assembleia de Deus citou a "Amazônia, tão bem preservada por Deus e pelos brasileiros".

O bispo Renato Cardoso, da Igreja Universal, representou Edir Macedo, que está em viagem ao exterior. O pastor e ex-deputado Robson Rodovalho, da Igreja Sara Nossa Terra, afirmou a Bolsonaro: "Deus está honrando o seu governo". "Seu coração é um coração de gratidão", continuou.

O pastor e ex-deputado Mário de Oliveira (PR-MG), da Igreja Quadrangular, disse que o governo melhorou a economia.

Assista: