Conecte-se conosco

Brasil/Mundo

Pandemia piorou alimentação de crianças e adolescentes, alertam especialistas

13% das famílias que têm crianças e adolescentes, os menores de 18 anos tiveram problemas de acesso a alimentos por falta de dinheiro

Publicado

em

A crise sanitária provocada pelo novo coronavírus aumentou outro problema que os especialistas também chamam de pandemia: a obesidade infantil. Em audiência nesta segunda-feira (5) da comissão externa da Câmara dos Deputados que discute as políticas para a primeira infância, eles apontaram a urgência de iniciativas para atenuar consequências da Covid-19 como a má alimentação de crianças e adolescentes e a falta de atividades físicas, dois determinantes diretos para o excesso de peso.

Os debatedores fizeram um panorama da situação dos menores de 18 anos diante do confinamento imposto pela pandemia: mais tempo usando telas, mais inatividade e o aumento do consumo de alimentos ultraprocessados. Para as famílias mais vulneráveis, das classes D e E, a perda de renda e o aumento no preço dos alimentos mais saudáveis agravaram a situação de insegurança alimentar.

Representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Cristina Albuquerque mostrou que, em 13% das famílias que têm crianças e adolescentes, os menores de 18 anos tiveram problemas de acesso a alimentos por falta de dinheiro. Em 61% delas, aumentou o consumo de fast food e refrigerantes e diminuiu o de frutas e verduras. Ela faz um prognóstico pessimista se não houver políticas públicas urgentes.

“Nós podemos ter, até 2025, 1 milhão de crianças e jovens no Brasil com pressão arterial elevada, outros mais de 100 mil com diabetes tipo 2 na fase adulta e 12,5 milhões de crianças obesas”, alertou Cristina.

Merenda escolar
Durante a audiência pública, representantes dos ministérios da Educação e da Saúde afirmaram que o combate à obesidade infantil é prioritário. A representante do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Solange Fernandes, informou que, desde o início da pandemia, o fornecimento de merenda escolar foi mantido, mesmo com escolas fechadas. Segundo ela, há uma determinação de que 75% das compras sejam de alimentos in natura.

Solange Fernandes citou ações em andamento, como a colocação de mensagens sobre alimentação saudável na contracapa de livros escolares e a confecção de um caderno de receitas indicadas para as creches.

A coordenadora da comissão externa, deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF), salientou a importância da merenda escolar na nutrição infanto-juvenil.

“Muitas vezes as crianças se alimentam muito melhor dentro da creche, dentro da escola, do que na sua própria casa. Então o acesso a uma comida saudável é fundamental para que a gente possa ter um país não só com um futuro cognitivo muito melhor, mas também com um futuro de um país com jovens e adultos com mais saúde”, observou a deputada.

Pesquisas
Solange Fernandes ainda revelou os resultados de uma pesquisa de 2018 com 2.443 cardápios de creches: 62,8% não apresentavam variedade alimentar adequada e 90,9% incluíam alimentos ultraprocessados três vezes por semana. O levantamento deve ser repetido no segundo semestre de 2022.

A coordenadora geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Gisele Bortolini, trouxe outros dados alarmantes: mais de 6 milhões de crianças e 9 milhões de adolescentes têm excesso de peso. Ela anunciou para ainda neste mês a assinatura de uma portaria instituindo o Proteja, um programa para estimular cidades mais saudáveis.

“São ações na atenção primária, ações na escola, no espaço verde, na questão dos ambientes, pensar a produção do alimento até o consumo. ‘No meu município são produzidos alimentos? Não são produzidos? A que preço eles são comercializados? Tem feira? Não tem feira?’, pensando em quanto a cidade pode apoiar aquelas famílias no acesso aos alimentos mais saudáveis”, afirmou Gisele.

Iniciativas legislativas
Cristina Albuquerque, do Unicef, cobrou do Congresso Nacional mudanças legislativas em temas como o aumento da tributação de bebidas açucaradas, como refrigerantes; a proibição de alimentação não saudável em cantinas escolares; e a redução da publicidade de alimentos ultraprocessados.

Já o representante da ONG Instituto Alana, Renato Godoy, pediu a atenção dos parlamentares para projetos sobre alimentação saudável em tramitação no Congresso, como a proposta (PL 4815/09) que proíbe a comercialização de brinquedos associada à de lanches.

 

Reportagem – Cláudio Ferreira
Edição – Roberto Seabra

Fonte: Agência Câmara de Notícias

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Brasil/Mundo15 horas atrás

Lei do Superendividamento favorece negociação e cobrança humanizada

Início das multas no contexto da Lei Geral de Proteção de Dados também deve frear a oferta de crédito a...

Brasil/Mundo15 horas atrás

Brasil ultrapassa marca de 60% da população vacinada com primeira dose contra Covid-19

São mais de 96 milhões de pessoas, das 160 milhões com mais de 18 anos, que receberam a primeira dose...

Brasil/Mundo2 dias atrás

Olimpíadas de Tóquio têm medalhas feitas por designer japonês

Junichi Kawanishi foi o vencedor de um concurso com 400 participantes

Brasil/Mundo3 dias atrás

Entidades e mais de 50 juristas assinam carta em defesa da indicação de André Mendonça ao STF

Texto mostra que um jurista evangélico também pode assumir uma cadeira na Suprema Corte

Brasil/Mundo3 dias atrás

Número de mortes registradas por dependência alcoólica aumentou em 2020

Dados do Ministério da Saúde revelam que houve aumento em 18,4% dos registros de mortes comparado ao ano de 2019

Brasil/Mundo3 dias atrás

Argentina permite o gênero X em carteiras de identidade e passaportes

Medida visa incluir pessoas não binárias, isso é, que não se identificam como homens e nem como mulheres

Brasil/Mundo6 dias atrás

Israel fará testes com vacina em pílulas contra Covid-19

A vacina Oravax é projetada para atingir três proteínas estruturais do vírus, em vez da proteína de pico único direcionada...

Brasil/Mundo6 dias atrás

Por não reconhecer Israel como país, judoca da Argélia se nega a lutar contra israelense

Para os islâmicos, enfrentar um atleta israelense é reconhecer o país e muitos se negam a fazê-lo

Brasil/Mundo6 dias atrás

Roberto Jefferson dispara contra embaixador da China no Brasil: “Pilantra que articula contra o governo”

No Twitter, Jefferson chamou o diplomata de “vagabundo que a China mandou para o Brasil”

finanças finanças
Brasil/Mundo6 dias atrás

62,5 milhões de brasileiros estão inadimplentes, aponta estudo da Serasa

Serasa realiza a ação "Limpa Nome" que permite negociar dívidas com até 99% de desconto