Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Mundo Cristão

Pastor canadense que não fechou igreja na pandemia volta a ser preso

Segundo a advogada do pastor, Sarah Miller, a prisão foi “por desacato ao tribunal por um suposto crime ocorrido em 5 de junho”

Publicado

em

O pastor canadense Artur Pawlowski foi preso novamente nesta segunda-feira (27) na pista do aeroporto Internacional de Calgary.

Em maio deste ano o pregador foi preso por não ter fechado sua igreja durante o isolamento social, mantendo os cultos presenciais em sua igreja.

Nesta semana, porém, a prisão não teve o motivo divulgado. Segundo a advogada do pastor, Sarah Miller, foi “por desacato ao tribunal por um suposto crime ocorrido em 5 de junho”.

O Serviço de Polícia de Calgary confirmou que o pastor foi preso, mas não tinha nenhuma informação sobre o suposto crime.

O religioso voltava de uma viagem aos EUA quando foi preso e algemado pelos policiais.

Ano de perseguição

O pastor Pawlowski, descendente de poloneses, tem vivido um ano de muita perseguição no Canadá.

Em abril deste ano policiais e agentes do governo estiveram em sua igreja para verificar o cumprimento das normas sanitárias em razão da Covid-19.

Na ocasião, o pastor expulsou os agentes e disse que os funcionários do governo estavam agindo como “psicopatas nazistas” e “pessoas doentias e más” que estavam “intimidando as pessoas em uma igreja durante a Páscoa”.

Em maio ele foi preso e no mesmo mês, um grupo de pessoas tentaram incendiar a garagem da casa do pastor que fica no mesmo terreno da igreja. “Eles querem que eu morra, e que meus filhos morram”, disse o Pawlowski ao site Rebel News, sem entender a perseguição que estava sofrendo.

O religioso afirmou também que que “nunca imaginaria” que este tipo de problema legal e discriminação violenta que ele enfrentou ocorreria no Canadá, um dos países mais livres do mundo.

PUBLICIDADE