Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Mundo Cristão

Pregadora de rua presa por falsa acusação de homofobia vence processo no Reino Unido

A juíza entendeu que dizer “você é um defensor de satanás e eu te repreendo em nome de Jesus” não é ofensivo

Publicado

em

No ano passado uma pregadora de rua foi presa no Reino Unido acusada de fazer comentários homofóbicos. Um processo foi aberto e Hazel Lewis, de 49 anos, foi inocentada pelo juiz distrital.

Segundo informações da CBN News, Lewis pregava do lado de fora da estação de metrô Finsbury Park, em Londres, em 12 de fevereiro quando a polícia foi chamada dizendo que ela fazia comentários homofóbicos.

A pregadora foi acusada de fazer uma criança chorar e de usar uma linguagem hostil para com um cidadão. A polícia também a acusou de assédio, por causar alarme e angústia.

A Christian Legal Center fez a defesa de Hazel Lewis que foi julgada pelo Tribunal de Magistrados de Highbury Corner.

Na semana passada, a juíza distrital Julia Newton entendeu que dizer “você é um defensor de satanás e eu te repreendo em nome de Jesus” não é fazer ameaça ou assediar alguém. “Eu não acho que essas palavras foram abusivas também”, diz a magistrada.

Sobre a causa angústia, a juíza entende que a pessoa pode ter ficado chateada, mas que isso não equivale a assédio, alarme ou angústia.

“Além disso, não há evidências do motivo do choro das crianças. Embora houvesse muito barulho, havia muitas coisas que poderiam ter levado as crianças a chorar. Acho que não há como responder.”

Agora a pregadora pretende processar a polícia de Londres. “Tudo o que eu fazia era pregar o evangelho de Jesus Cristo e fui presa por isso”, disse ela. “Há perigos nas ruas. Já fui urinada e ameaçada, mas os cristãos são chamados a pregar o evangelho da salvação e esperança em qualquer situação, por mais difícil que seja, por isso não tenho medo”, disse ela.

Lewis também não pretende deixar de evangelizar nas ruas. “Apesar dessa experiência, estou determinado a continuar a pregar. Desde o início da pandemia, tenho visto cada vez mais cristãos tomando as ruas de Londres para pregar.”

Andrea Williams, diretora executiva do Christian Legal Center, chamou Lewis de “mulher cristã corajosa” por sua determinação em refutar as acusações infundadas de discurso de ódio dirigido contra ela.

“É assustador que uma falsa acusação policial possa ver uma mulher pregando sozinha, algemada, presa e processada”, disse Williams. “A polícia estava determinada a acusá-la independentemente das provas, e estamos aliviados que os tribunais tenham verificado isso.”

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Brasil/Mundo2 dias atrás

Deputado quer proibir banheiros unissex no Estado do RJ

O parlamentar se preocupa em inibir a importunação sexual, assédio e violência contra as mulheres e crianças

Brasil/Mundo3 dias atrás

EUA: Estudante de 15 anos sofre abuso sexual em banheiro unissex por rapaz de saia

O mesmo aluno, uma "menina trans" é acusada de cometer outros abusos contra seus colegas

Brasil/Mundo3 dias atrás

Com dois cultos de gratidão, Mocidade Ágape irá celebrar seu 41ª aniversário

O aniversário será um culto de GRATIDÃO a Deus e tem como tema Salmos 116:12

Brasil/Mundo4 dias atrás

Regime home office exige alguns cuidados com o corpo; especialista dá dicas

Mesmo com os benefícios, existem desvantagens que podem desencadear diversas patologias

Brasil/Mundo4 dias atrás

Valdemiro Santiago é condenado por dizer que governador da Bahia tem ‘pacto com o capeta’

O valor da indenização ficou fixado em R$ 35 mil, cabe recurso

Brasil/Mundo4 dias atrás

Brasil garante 354 milhões de vacinas para Covid-19 que serão aplicadas em 2022

 "Asseguramos que todos os brasileiros terão, ano que vem, uma campanha muito mais eficiente", contou o ministro Marcelo Queiroga

Brasil/Mundo4 dias atrás

Xuxa pede que apoiadores do presidente deixem de segui-la nas redes sociais e Bolsonaro responde: “Vamos unir o país”

A apresentadora quer o impeachment do presidente por conta da pandemia

Brasil/Mundo5 dias atrás

Defensoria Pública do Piauí lança edital de concurso com salário de R$ 23 mil

São cinco vagas para o cargo de Defensor Público Substituto e a formação de cadastro reserva.

Publicidade