Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Mundo Cristão

Projeto Recriando Raízes forma 1.800 jovens em cursos profissionalizantes e você pode apoiar novas turmas

A missionária Ilma Rocha atua desde 2000 mudando a vida de jovens carentes através da Educação

Publicado

em

Neste final de semana, o projeto Recriando Raízes formou 1.800 jovens que participaram de cursos profissionalizantes no primeiro semestre do ano.

Liderado pela missionária Ilma Rocha, o projeto conta com o apoio do Grupo O Boticário oferecendo qualificação profissionais para jovens moradores da comunidade de Costa Barros, na zona Norte do Rio de Janeiro (RJ).

Considerado o segundo pior lugar do Rio, Costa Barros enfrenta problemas sociais que são agravados pela falta de acesso à educação e trabalho.

Para oferecer uma oportunidade de mudança para esses jovens, a missionária fundou em 2000 um trabalho social para oferecer cursos profissionalizantes para adolescentes e jovens, permitindo que eles tenham uma profissão.

A formatura aconteceu neste sábado e domingo e foi muito emocionante para a equipe que, seguindo protocolos de segurança e isolamento social, pode oferecer um momento de alegria que marca o início da vida profissional de jovens.

O professor do curso de fotografia, Carlos Erbs Júnior, não aguentou a emoção e registrou um momento de muita alegria ao lado de seus alunos.

Professor Carlos Erbs Júnior

Professor Carlos Erbs Júnior posa ao lado dos alunos do curso de fotografia | Foto: Divulgação

Pelas redes sociais, Ilma Rocha agradeceu a Deus e a todos os instrutores que investiram na formação desses jovens.

“Gratidão a Deus, todos os instrutores que durante 4 meses estiveram passando o seu conhecimentos para tantos jovens que, por muitas vezes, a sociedade não estava acreditando. Vocês, juntos com Recriando Raízes, fizeram a diferença na comunidade”, declarou Ilma Rocha.

Você pode apoiar novas turmas

Ilma Rocha e Alba Valéria

Ilma Rocha e Alba Valéria, presidente e vice-presidente do Recriando Raízes | Foto: Divulgação

O projeto conta com apoio de doares que aceitam entrar para este desafio de transformar a realidade de adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade.

A ONG Recriando Raízes conta a com a sua participação. Acesse o site https://www.recriandoraizes.org.br/ e clique em “Doe” para contribuir com este projeto.

Se preferir, faça sua doação através do Banco do Brasil, Agência: 0751-X, Conta Corrente: 81530-6, CNPJ: 20.502.074/0001-33. Telefone: (21) 97020-4640 ou (21) 99251-3804.

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Brasil/Mundo10 horas atrás

Governo de Rondônia proíbe ‘linguagem neutra’ nas escolas

Os professores e instituições poderão ser punidos se não obedecerem

Brasil/Mundo14 horas atrás

Moraes determina prisão preventiva e extradição de Allan dos Santos

Blogueiro bolsonarista é alvo do inquérito que apura a divulgação de notícias falsas

Brasil/Mundo15 horas atrás

Covid-19: 20 milhões de brasileiros estão com a segunda dose da vacina atrasada

Índice de pessoas completamente vacinadas contra a doença já teria passado dos 80% do público-alvo, caso não houvesse atraso na...

Brasil/Mundo2 dias atrás

Governo Federal anuncia o Auxílio Brasil de R$ 400 até o final de 2022

O número de beneficiários será ampliado em relação ao Bolsa Família e deve chegar a 16,9 milhões de famílias

Brasil/Mundo2 dias atrás

Inscrições para cursos gratuitos do Google encerram nessa sexta (22/10)

As capacitações são na área de tecnologia e começam nesse ano

Brasil/Mundo3 dias atrás

Censura: Instagram retira ‘recurso de links’ de perfis conservadores

Internautas falam de perseguição política e tentativa de censura

Brasil/Mundo4 dias atrás

Lego anuncia brinquedos sem gênero para influenciar crianças “contra o preconceito”

Para a marca, acabar com o “estereótipos nocivos” vai ajudar as crianças a não serem preconceituosas

Brasil/Mundo4 dias atrás

Por reclamarem de banheiro coletivo unissex, Joana Prado e Vitor Belford perdem patronício

A empresa foi pressionada por internautas para romper contrato com o casal; usuários da rede alegam de "transfobia"

Publicidade