Conecte-se conosco
[the_ad id="107359"]

Política

Voto impresso: Por não atingir o mínimo de 308 votos favoráveis, texto será arquivado

“Espero que este assunto esteja definitivamente enterrado”, declarou o presidente da Câmara, Arthur Lira

Publicado

em

Na noite desta terça-feira (10), a Câmara dos deputados voto o projeto de lei do voto impresso auditável, resultando na derrota do texto que tem apoio popular.

A proposta rejeitada, de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF), determinava a impressão de “cédulas físicas conferíveis pelo eleitor” independentemente do meio empregado para o registro dos votos em eleições, plebiscitos e referendos.

Foram 229 votos favoráveis, 218 contrários e uma abstenção. Por não atingir o mínimo de 308 votos, o texto será arquivado.

Após a votação, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), agradeceu aos deputados pelo comportamento democrático. “A democracia do Plenário desta Casa deu uma resposta a este assunto e, na Câmara, espero que este assunto esteja definitivamente enterrado”, afirmou.

A votação desta terça-feira é a terceira derrota do voto impresso na Câmara, já que o tema foi rejeitado em duas votações na comissão especial na semana passada.

O 1º vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), também afirmou que o debate do voto impresso precisa ser superado. “O brasileiro precisa de vacina, emprego e comida na mesa. A Câmara precisa virar esta página para tratar do que realmente importa para o País”, declarou.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

PUBLICIDADE